Quem são e o que pretendem os candidatos da Dobradona 2018?

Grupo heterodoxo de candidatos se reúne para lançar candidatura conjunta e formar bancadas coletivas

Governar com a consulta permanente da população através de plebiscitos é a principal proposta dos candidatos da Dobradona 2018, que traz diversas vozes e ocupar os parlamentos com pessoas comuns.

A campanha utiliza a Metodologia de Consulta da Frente Ampla no Chile e a Experiência Coletiva da Gabinetona em Belo Horizonte.

Quem faz parte da Dobradona?

Regis Marques, antes de ser candidato é diretor da escola estadual Parque dos Sonhos, em Cubatão, sua administração ajudou a angariar verba para a infraestrutura da escola e a integrou ao bairro como propriedade dos alunos. Entre suas principais propostas estão a redução do salários dos deputados estaduais e destinação da verba para o salário de policiais e professores estaduais e a criação dos projetos Gabinetes das Periferias, escola sem muros e estúdio de mídia livre nas escolas estaduais de São Paulo.

Renata Peron, mulher, trans, paraibana e assistente social. Candidata pelo PSOL ao cargo de Deputada Federal, Renata conheceu a transfobia na pele, foi atacada por um grupo de skinsheads e com a violência perdeu um rim. Sem se amedrontar, abraçou ainda mais as causas LGBTQI+, ela é o retrato de um Brasil que não desiste de lutar por oportunidades com igualdade e justiça.

Alexya Salvador, professora da Rede Pública de Ensino há quase 14 anos. Engajada nas lutas de direitos sociais. Aos 18, fundou um albergue e por quase dois anos, cuidou de pessoas em situação de rua. Há 8 anos faz militância na Igreja da Comunidade Metropolitana, uma igreja inclusiva que atua na defesa e promoção de pessoas LGBTI+, onde é Pastora auxiliar, sendo a primeira Pastora Trans da América Latina.

Profeta Verde, Advogado ativista, luta pela legalização da maconha no Brasil e defende usuários de drogas processados como traficantes. É presidente e um dos fundadores da AcuCa (Associação Cultural Cannábica de São Paulo), e um dos organizadores. Suas principais propostas são a participação coletiva política, fim da guerra às drogas, redução de danos, agricultura familiar e saúde mental.

Professor Maykon Santos, Professor de educação básica há 11 anos em Santos. É negro, periférico e suas principais bandeiras são o combate ao privilégio dos políticos, mandato coletivo com equidade de gênero e participação de negras, negros e LGBTQI+. A defesa da educação pública e qualidade de serviços públicos fazem parte das suas frentes de luta.

Dobradona

Todos os direitos reservados.